As Sete Mortes de Evelyn Hardcastle (Stuart Turton) Feitiço do Tempo encontra Agatha Christie

“Durante um baile de máscaras, Evelyn Hardcastle é assassinada. Mas ela não morrerá apenas uma vez – a personagem está destinada a viver o dia de sua morte repetidamente. A única forma de quebrar o ciclo é descobrir o culpado pelo crime. É aí que entra Aiden, um dos visitantes chamados a Blackheath para a festa, está disposto a decifrar o enigma. A cada dia que amanhece, porém, ele acorda no corpo de um convidado diferente… e há alguém determinado a aprisioná-lo para sempre na mansão.”

As Sete Mortes de Evelyn Hardcastle é um mistério de assassinato muito diferente de tudo que eu já havia lido. Além de contar com o forte poder narrativo de Stuart Turton, a trama por si só é capaz de te carregar pelo livro inteiro. Temos dois mistérios: Quem matou Evelyn Hardcastle e quem aprisionou Aiden na mansão Blackheath. Essa abordagem é extremamente inteligente, pois mesmo que seja possível descobrir o primeiro mistério através das pistas habilidosamente plantadas pelo autor, ainda nos resta o mistério de como chegamos (sim, eu fiquei 100% investida na situação do Aiden) até aquela situação inusitada de estar revivendo o mesmo dia cada vez em um corpo diferente.

É a cordialidade dele que me derruba. Ele pensa que sou meio louco, um bêbado idiota que passou a noite na floresta e voltou delirando. Todavia, em vez de ter raiva, ele tem pena de mim. Essa é a pior parte. A raiva é sólida, tem peso. Você pode mostrar os punhos contra ela. A pena é uma névoa para entrar e se perder…

as sete mortes de evelyn hardcastle

É quase impossível não simpatizar com o protagonista desde as primeiras páginas, não só pela situação em que ele se encontra, como por sua personalidade única que vai ao mesmo tempo evoluindo e se deteriorando conforme a história se desenrola. Por ser narrado em primeira pessoa, você embarca em uma jornada intimista e aterradora, onde cada segundo pode fazer toda a diferença.

A maioria das pessoas pensa que o segredo para uma boa trama de assassinato é o mistério em volta de quem cometeu o ato e porque, mas na verdade o que realmente acaba marcando mais nessas história é a maneira como cada personagem encara o crime. A Leitora simpatiza com Evelyn não necessariamente por causa dela, mas sim pelo o que você descobre sobre ela pelos olhos de outros personagens e o sentimentos que eles sentem por ela. Essa é uma das maneiras mais ousadas de se construir um apego por uma personagem que muitas vezes já nasce morta.

E como se não bastasse nos entregar um suspense de primeira, daqueles que é impossível largar (Eu fiquei acordada até as 7h da manhã durante as férias para terminar esse livro), Stuart Turton também nos entrega uma história de lealdade, compaixão e perdão. Essa é uma bela obra capaz de representar os mais profundos sentimentos humanos e, é claro, te deixar maluca querendo descobrir o que está acontecendo.

Infelizmente essa obra só está disponível em português para os assinantes do clube de leitura da TAG Livros. Eu comprei (depois de muita incompetência da TAG e duas passagens no reclame aqui) quando ainda vendiam os kits avulsos para qualquer pessoa. Caso você domine inglês, pode encontrar o livro em formato kindle e capa dura na Amazon.

Análise Final: Maravilhoso!

Avaliação: 5 de 5.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s